Video Porno Caseiro Peitudinha Buceta Grande Chupando Com Colega De Trabalho De Franca – Sp

2 min

Categoria:

Tag:

visualizações

2 min

Categoria:

Tag:

Video Porno Caseiro Peitudinha Buceta Grande Chupando Com Colega De Trabalho De Franca – Sp

Video Porno Caseiro Peitudinha Buceta Grande Chupando Com Colega De Trabalho De Franca – Sp

muito, minha boca também doia, o homem que queria me comer se deitou naachei melhor conversar com ela, a fim de expormos, francamente, os nossos mais íntimos desejos. Marcamos para depois de sairmos do trabalho, numa banca de revista que havia na praça da biblioteca municipal, centro de SP, do lado de minha casa. – é sério cara, peguei ela chupando o Firmino (ajudante do meu pai) outro dia e disse que só não contaria pro meu pai se ela desse pra ti na minha frente. A conversa seguia tensa e Tentei justificar, ela então pegou o notebook e me mostrou o vídeo que ela estava vendo e perguntou se era algo tão anormal, e não era mesmo, era apenas um vídeo de sexo entre homem e mulher e ela perguntou se eu também não gostava de ver e pediu para eu colocar um vídeo dos que vejo, para vermos se é tão diferente dos que ela via e eu fiquei falando que nada haver, foi quando ela explicou que casou virgem com meu pai, que adorava transar e que fazia falta demais para ela, porque ela e meu pai transavam muito e então ela disse de novo, para eu colocar um vídeo dos que vejo para eu provar o que “sou melhor”.

Verifiquei que quando alisava os seios, os bicos endureciam e automaticamente minha buceta latejava. 0 caralho grande de Rodrigo entrava sem dó, eu tossia e ele continuava metendo até o fundo, puxando meu cabelo com força e esfregando seu saco no meu queixo. Sempre que estou lá o Carlos (o caseiro que tem uns 45 anos também) gosta de ficar conversando e me passando as coisas do sítio, o que ele fez e o que ainda precisa fazer, etc. Eu estava na sala de aula da faculdade,não me aguentando de tesão e olhava para um branquinho nerd magro do meu lado e começa a me masturbar mas sem ele ver,eu estava louca de tesão chupando meus labios,e escrevi em um papel temos que agilizar nosso seminário da semana que vem,e fomos a sala de multimidia e eu cheguei la e subornei o professor dei 50 reais na mão dele e disse tranca a sala,ele saiu trancou a porta eu apaguei as luzes e liguei computadores aleatorios e comecei a pesquisar videos pornos neles e aumentei o volume do som dos gemidos das mulheres olhei para ele e lambi os beissos e ele apertou a mão no pau quando eu tirei a blusa e comecei a imitar as mulheres dos videos puchei ele e comecei a gemer no ouvido dele… Ele não sabia o que fazer então dominei ele sentei na cadeira sentei no colo dele e esfreguei meus peitos no rosto dele bem rapido ate que ele abriu a boca começou a chupar meu biquinho e com a outra mão ficava puchando a ponta do outro biquinho,eu gemi tanto,gozei não aguentei,depois fui descendo a mão comecei a masturbar ele bem devagar e comecei aumentar a velocidade e ate que ele começou a se contorcer na cadeira e depois comecei a chupar na mesma velocidade e ele encheu minha boca de porra eu engoli tudo encostei na mesa desci a calça e abri as pernas puchei ele pela camisa que veio logo chupando minha buceta e enquanto ele chupa eu gozava e gemia alto não aguento fiquei de quatro e ele começou a meter em mim tampou minha boca e mandou eu fazer silêncio “vadia”,e me comeu e encheu minha buceta de poha depois mandou eu mamar no pau dele e depois chupou meus peitos denovo vestiu as calças me ajudou a vestir as roupas desligou os computadores e na saida enfiou a mão na minha calcinha e saiu da sala me masturbando… Depois ele não me comeu mais para minha tristeza.

Comecei a beber e dançando conforme a musica tocava depois de um tempo bebendo esqueci ate q estava de saia rebolava ate o chao um colega ficava me olhando naoo tirava os olhos da minha calcinha,quando percebi fiquei meio sem graça e parei de dançar e como já era tarde da noite ele me ofereceu uma carona pois morava na rua em baixo da minha só ia deixar a prima dele em casa q estava bêbeda.