Vazou No Whatsapp Video Amado Loira Super Boqueteira Pegando A Safada Com Vizinho De São Paulo – Sp

Vazou No Whatsapp Video Amado Loira Super Boqueteira Pegando A Safada Com Vizinho De São Paulo – Sp

Vazou No Whatsapp Video Amado Loira Super Boqueteira Pegando A Safada Com Vizinho De São Paulo – Sp

Paulo então levantou, pôs ela de quatro e começou a brincar, judiar de Victória.

– Você me dá muitos problemas… – Falou, pegando no meu pau e me punhetando. Nunca imaginei, mas minha mãe, que aparentava ser uma santa, era na verdade, uma boqueteira profissional.

A intensidade dos vídeos era proposital.

Tirando uma última vez o pau da boca da Paty, deu mais três ou quatro bombadas na boceta da namorada e, sacando o pau a tempo, esguichou três longos e grossos jatos de porra em direção do corpo da loira. Eu estava no primeiro semestre e ela fazia dp comigo, de duas matérias, então nós víamos praticamente uns 3 dias da semana, sempre tive muita vontade de fazer amizade com a Lorena, mas me faltava coragem, até que um dia eu pedi para fazer uma prova em dupla com ela, e ela aceitou, ficamos amigas e trocávamos muitas mensagens no WhatsApp, infelizmente ela era hetero, mas felizmente era uma hetero curiosa, um dia no WhatsApp entramos no assunto de opção sexual, eu disse que era homossexual e ela disse que era hetero mas tinha vontade de experimentar, o que me deu a liberdade de dizer “Lorena, eu te acho linda, seria uma honra se voce aceitasse sair comigo não só como amigas” e para minha surpresa ela aceitou, combinei de leva-la a um pub na Augusta, comemos e nos divertimos, até que no final da noite nos beijamos, foi ardente, foi intenso e com muita vontade de ambas as partes, naquele ponto eu já estava super excitada então perguntei para ela se ela gostaria de ir a um motel comigo, ela aceitou, chegamos já arrasando, parecia que Lorena foi prepara para transar comigo, sua lingerie era impecável, ela começou beijando meu pescoço e eu acariciando seus seios, ela gemia muito como se nunca tivesse tido tanto prazer, a joguei na cama e desci até chegar em sua vagina, chutei como se não houvesse amanhã e ela gozou muito em minha boca, e ela sem descansar me virou e me comeu de quatro, ela metia sem dó 2 dedos, 3 dedos, 4 dedos, metia rápido e com força, não aguentei, gozei na mão dela, nunca senti tanta tesao assim, meu grelo nunca latejou tanto, que mulher, eu e Lorena ainda transamos casualmente, conto outras transas deliciosas que tivemos nos próximos contos. Estávamos conversando sobre isso em um dia em que eu não fui trabalhar e ela estava lá em casa fazendo faxina, estávamos na cozinha, e ela estava com seu shortinho que faz com que ela fique com um capuz de fusca e permite ver sua calcinha enfiada em sua bunda, e enquanto ela me falava que já estava há 3 meses sem poder transar me contou que estava tendo muito problema financeiro, pois tudo estava muito caro, e as pessoas estavam começando a parar de contratá-la para reduzir gastos, eu estava só de bermudinha em casa, havia acabado de tomar um banho e ela virou pra mim e disse, meio que em tom de brincadeira, acho que vou começar a fazer programa escondida, pois assim acabo matando meu tesão e resolvendo meu problema de dinheiro, ela disse isso e riu, mas na hora isso me deixou excitado, de tal forma que meu pau fez um volume sob a bermuda, como estava ao lado dela eu coloquei a mão em seu ombro e perguntei se ela tava pensando realmente sério nisso, ela colocou a mão em minha cintura e disse que tinha hora que tinha vontade mesmo, mas o problema é que teria que dar pra um monte de gente feia, que os caras que iam querer ela não iam ser novinhos e bonitos iguais a mim, quando ela disse isso eu segurei a mão dela tomei coragem e falei, -você que pensa, olha como que eu fiquei só de ouvir você falando isso! Então coloquei a mão dela sobre meu pau, por cima da bermuda, ela olhou pra mim com cara de assustada e de safada e disse, -nossa Rodrigo, você teria mesmo coragem, mesmo com uma mulher bonita igual a sua? Mas enquanto ela falava deixou a mão em meu pau, eu então tirei ele pra fora da bermuda e coloquei sua mão nele e falei que se ela quisesse, eu comeria ela agora, ela começou a me masturbar em pé, encostado no balcão da cozinha, e disse que não sabia se devia fazer isso, que tinha medo e coisas assim, mas sem parar de alisar meu pau, da cabeça até o saco, eu virei ela de costas e encostei meu pau em sua bunda e comecei a me esfregar em sua bundinha, enquanto ela continuava a me punhetar devagarinho, com minha outra mão comecei a acariciar sua boceta por cima da bermuda, ela afastou a bermuda pra que eu enfiasse a mão em sua boceta, e quanto pus meus dedos em sua boceta senti todo aquele melado, ela estava louca de vontade de dar, então pus ela sentada na cadeira da mesa e comecei a esfregar meu pau em sua cara, passando em seus lábios, ela ficou sentindo o cheiro de meu pau e então começou a abocanhá-lo, segurando em meu saco e empurando meu corpo de encontro a sua boca, sugou com vontade por alguns minutos, até que não mais agüentei e levei ela pro sová, arranquei apenas seu shorte e sua calcinha e empinei bem aquela bundinha pra mim, acariciei um pouco mais aquela linda bocetinha e enfiei meu pau nela com vontade, meu pau deslizou com facilidade, e ela estava tão lubrificada que tive dificuldades pra gozar, eu ia metendo em sua boceta e batendo em sua bunda, e ela gemia e dizia:-isso, mete na mamãe, come a mamãe come seu gostoso!, Enquanto ela gemia ela rebolava aquela bunda gostosa e depois de uns 15 minutos de um vai e vem frenético acabei gozando em sua bundinha….

"Minha amiga Manuela estava muito a fim de um colega dela, chamado Osvaldo.

Chegando lá ele super carinhoso continuava me beijando e tirando minha roupa, fui também tirando a roupa dele, quando já estávamos pelados ele me deitou na cama e começou a deslizar sua língua em meu corpo, que delicia, que língua é essa?! Já imaginava o que aquela língua iria fazer comigo quando chegasse lá, e minha buceta não parava de babar e ele chegou lá deu umas mordidinhas e começou a me chupar, eu nunca tinha sentido nada igual era inexplicável a sensação e finalmente eu já queria gozar, não sabia se ele ia gostar que eu gozasse em sua boca então falei: – Ah, ah para vai, para que eu vou gozar!! Ele falou: – Goza vai gostosa, goza na minha boca, eu pensei mentira que ele realmente quer que eu faça isso (pois eu nunca tinha feito em casa) e ele continuou com aquela língua maravilhosa e eu gozei e gozei muito gostoso. – Meu bem, acho que você terá de conversar com nosso vizinho, o Cláudio.