Enrabando o cuzinho apertado da minha esposa tesuda

Enrabando o cuzinho apertado da minha esposa tesuda

Enrabando o cuzinho apertado da minha esposa tesuda

Ele foi devagar e deitou por cima dela enrabando-a e beijava seu pescoço e roçava a rola na bunda dela, sentindo aquele rego gostoso. A Cristina, a custo, lá conseguiu entrar enquanto o Carlos separava as suas nádegas e mostrava o orifício anal bem apertado. Eu e meu amante gostoso continuamos a nos encontrar e tudo com ele era tão maravilhoso, fomos ficando próximos demais e já não nos encontrávamos somente pera transar, mas conversávamos e trocávamos carinho eu sempre dizia pra ele que não era pra ter sido tão gostoso na primeira vez, não era pra ter virado um caso era pra ter sido só uma ficada,até que um dia ele me pediu uma foto da minha bunda e eu fiquei de quatro virada pra o espelho ele em pé na minha frente tirou essa foto e levou para casa no celular, se eu soubesse que essa foto seria o fim de tudo eu nunca tinha deixado ele tirar, a mulher dele viu essa foto me ligou falou um monte e ainda por cima disse pra ele que eu quem tinha ligado, ele com todo direito ficou com raiva de mim não me ligou mais, eu então o liguei contei o que de fato tinha acontecido e ele pediu pra voltar eu falei que não era melhor não, temi a reação da esposa dele que disse a mim que postaria a foto nas redes sociais, então terminamos nosso caso,eu não conseguia esquecer aquela língua e o que ela transmitia em mim de jeito nenhum, então uma semana depois resolvi mandar uma mensagem pedindo pra voltar, levei um “coice” ele disse que tinha respeitado a minha decisão e que eu agora precisava respeitar a dele e não dava mais para nos vermos, aceitei não muito feliz mais aceitei, hoje continuo com meu namorido e quando transo com ele prefiro que a lampada esteja apagada só assim posso imaginar que seja o meu amante gostoso peço que o tempo se encarregue de fazer com que eu possa experimentar aquela lingua gostosa de novo.

Chamou-me de gostosa, tesuda, safada, galinha e puta como a minha mãe e tomando-me nos seus braços, me levou para o seu quarto e jogou-me na cama. Ele veio por trás e já socou de vez na minha bucetinha,com força,metendo sem parar.

Novamente me posicionei pra chupar aquela buceta deliciosa, e dessa vez a mantive num canto onde somente eu poderia cuidar dela e não deixar outras pessoas se aproximarem, fiquei pressionando e mordendo aquele grelinho gostoso, mantendo suas pernas erguidas para sugar sua buceta e ainda lamber bem gostoso seu cuzinho (ela adora sexo anal), sentindo os calafrios e espasmos que percorriam o corpo dela a cada sugada mais forte, sem falar dos fluídos vaginais dela, cada vez mais quente que ela estava jorrando na minha boca e no meu nariz, e depois ela me confessou que havia gozado na minha boca (adoro quando isso acontece) e logo após isso, me posicionei entre suas pernas e meti com gosto e vontade e logo senti aquele tesão subindo pelo meu corpo e senti o meu gozo vindo, tirei de dentro da buceta dela e gozei tudo no chão, mesmo sabendo que ela adora quando gozo em cima dela, mas o vestido dessa vez não nos permitia isso.